sexta-feira, 25 de maio de 2012

Minhas Crianças














quarta-feira, 29 de junho de 2011

Linguagem da sua Calopsita


Como entender sua calopsita se ela ainda não pode usar as palavras para se comunicar?

Estamos diante do enígma chamado COMPORTAMENTO.

Vamos tentar desvendar um pouco da linguagem do seu amiguinho? As formas de

comportamento da ave são dicionários, são trilhas para que possamos entender o que

se passa com elas. Vamos ver os sinais?

Asas abertas, cabeça para baixo, bum bum para cima: demonstração

de alegria ou “exposição da própria figura” (se mostrando). Esta atitude quer dizer

que sua calopsita deseja “aparecer”, ser notada. Faça com que ela veja que você a

notou. Aplauda, diga que as asas dela são lindas, que ela é maravilhosa e que

você a ama. Faça-a perceber seu entusiasmo.

Arrepio nas costas (como se fosse um gato) e um sacolejo após o arrepio:

Ela está espantando a tensão.

Berros: Ela pia e grita. Grita alto. Está reclamando. Algo não está como ela quer que

esteja, ou ela quer algo que não foi feito, ou seja: está descontente e, provavelmente,

vai gritar até conseguir o que quer. Pode até desistir, porém vai levar dias e dias para

desistir. Você deve descobrir o que a incomoda, ou o que ela deseja e fazer a sua vontade

se quiser paz. Pode tentar distrair a atenção dela com algo que ela goste muito de comer.

Costumam gritar também por ciúmes, ou para chamar sua atenção para uma situação

que ainda nem ocorreu.

Pios baixinhos: Se seu amiguinho deu pios baixinhos em situações especiais preste

atenção. Situação 1. Ele está tomando algum remédio, você o medicou à noite e está indo

dormir quando ouve seu pio sutil: esta atitude quer dizer que ele está chamando você de

volta, pedindo-lhe que fique com ele, que não o deixe sozinho. Talvez esteja com medo,

com dor ou com mal estar e se sente seguro e protegido com sua presença.

Situação 2. Se houve tempestade e trovões fortes. Ele pode estar com medo e quer companhia.

Situação 3. Se há outras calopsitas no mesmo viveiro ou gaiola e alguma está passando mal.

Uma delas pode piar (pio mais intenso) para lhe avisar que você deve ir prestar socorro.

Em quaisquer circunstâncias que sua calopsita der pios fora do contexto, fique atento.

Provavelmente, ela deseja lhe avisar sobre algum fato.

Stress: A ave está sonolenta (depressão), as penas fechadas mostrando um corpinho

esguio (susto), as asas semi-abertas, o topete mais para cima (susto). Ela não presta

atenção em você, está apática, asas caídas ao longo do corpo (depressão ou doença),

ou concentrada em algum ponto (susto).

Ela pode ficar estressada após você ministrar alguma medicação à força no bico, após

ser manuseada, após ter sido transportada, após ter caído ou após ter passado por

situação da qual não gostou. Deixe-a descansar, de preferência na penumbra e no

silêncio. Ela pode mostrar os sinais de susto por manuseio, por medo de pessoas ou

animais (até por ver o gavião voar ao longe), por medo de objetos e até por medo

de tempestades. Procure afastá-la do que causou o medo e o susto.

Cropofagia é o ato de comer as fezes. Se sua calopsita está comendo as próprias

fezes, ela está com cropofagia. Mas por que isto acontece? Acontece com aves mal

nutridas que têm o hábito de consumir apenas sementes e que estão com carência de

vitamina B. A falta de vitamina B provoca andar inseguro, tonturas, convulsões,

cropofagia, etc. Providência: Acostume sua ave a comer verduras e legumes de

cor verde escura (couve, brócolis, jiló, catalônia etc.) e, com certeza, não

precisará recorrer a medicamentos.

Agressões a bicadas e canibalismo: A ave agride por causa de medo, para

defender seu território, por razões sexuais ou mudanças hormonais. Se as

causas das bicadas são esporádicas, tipo: passou por medo só bicou na hora do

ocorrido, não há motivo para preocupação, pois é normal, no entanto uma ave

que agride a outra com frequência e com intenção de machucar, matar ou intenção

de arrancar pedaços, aí sim, há motivo para preocupação. Esta ave deve ser

isolada e submetida a tratamento. Problemas de território podem ser corrigidos

com florais. Problemas de território é quando a ave acha que manda no viveiro

e tenta impedir as demais aves de circularem pelos poleiros mais altos. Ela se posiciona

como mandona e pode agredir para ser obedecida. Uma boa forma é colocar a ave numa

gaiola separada e deixá-la, alguns minutos, sozinha em algum cômodo (castigo) para

que ela perceba que não manda no espaço, mas não vá esquecê-la por lá, viu?

Quando há evidência de canibalismo (ave que arranca pedaços de outra), deve-se procurar

o veterinário com urgência para que providências sejam tomadas e, se necessário,

colocar na ave o “colar elizabetano” até que ela mude o comportamento.

Auto-mutilação: Os fatores que levam a auto-mutilação podem ser: stress,

parasitas, disfunção hormonal, má alimentação. No início a ave começa a se coçar

em excesso, depois passa a arrancar as penas, principalmente as das coxas, do peito

e do abdômen. É necessário boa higiene, carinho, vitaminas e consulta com um veterinário

para tratar as causas e os ferimentos, usando, talvez, o colar elizabetano como coadjuvante

na cura

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Conhecendo sua Calopsita

Os psitacídeos são aves saudáveis e bastante resistentes e, se tratadas adequadamente, podem viver uma média de 20 anos.

Entretanto, como ninguém está livre de incidentes, resolvemos abrir esta seção, caso você tenha alguma dúvida ou precise de orientação.
calopsita pérola cara branca dengosa Uma calopsita pérola cara branca
se delicia com os carinhos da dona
Vale dizer que, no trato com qualquer animal, uma vez que eles não podem nos dizer o que sentem, o importante é conhecê-los bem e nos habituarmos a observá-los. Assim, qualquer sinal de problema pode ser detectado facilmente.

Vale também dizer que várias alterações de comportamento, no apetite, ou mesmo fisiológicas, podem ser em razão de stress. Esse stress pode ser causado por mudanças - uma nova gaiola, novos membros na família, novos ruídos, nova comida, ausência do dono, etc.

Primeiros - Socorros

primeiros-socorros
Apresentamos abaixo alguns problemas comuns de saúde e o que pode ser feito a respeito deles. No entanto, a nossa recomendação é de que, ao detectar qualquer tipo de problema, procure sempre a ajuda de um veterinário.
cabeça de calopsita cinza Detalhe da cabeça de uma calopsita cinza.
problemas nos olhos
Piscadas freqüentes, olhos fechados, vermelhidão, inchaço e secreção... problemas nos olhos podem ser irritações causadas por aerossóis, batidas ou briga com outra ave, vírus, infecções bacterianas, fungos e ácaros. Também pode ser sintoma de uma deficiência de vitamina A, infecção nos sinos nasais ou abscesso.

Nesse caso, mantenha sua ave longe da luz intensa, o que pode irritar ainda mais, e evite produtos que possam causar irritação. Se houver alguma secreção, limpe com soro fisiológico ou colírio oftalmológico.
agapórnis roseicollis lutino Exemplar de roseicollis lutino.
diarréia
A diarréia é um problema relativamente comum nas aves, e pode ser causada por mudanças na dieta (principalmente por ingestão de frutas), medicamentos e estresse. Mas ela também pode ser devida a infecções bacterianas, um indicativo de problemas no trato urinário ou no digestivo (e órgãos associados, como pâncreas e fígado), ou ainda um sintoma de doença.

Se a diarréia for isolada, e sua ave estiver alerta, sem mudanças no comportamento, não é preocupante. Remova os vegetais e as frutas da dieta por um tempo e administre soro caseiro, três vezes ao dia, ou dê 2 gotas de pepto-bismol, duas vezes ao dia.

Mas se a diarréia perdurar ou sua ave apresentar conjuntamente qualquer outro sinal estranho, procure um veterinário com urgência, pois pode ser alguma doença em estado já avançado.
calopsita cara branca ainda nova Uma jovem calopsita pérola cara branca.
espirros e secreção nasal
Espirros podem ser devidos a alergias e irritações passageiras, mas também podem ser sinal de problemas respiratórios. Nesse caso, podem ser acompanhados de tosse (se ouve "cliques" vindos da garganta da ave) e inflamação na garganta (mudanças na voz ou canto).

Quando as narinas têm alguma secreção, as penas acima delas adquirem um tom marrom. O problema pode ser por causa de alguma semente ou objeto que entrou nas narinas, ou ainda da irritação causada por aerosóis ou infecções. Se o problema for um objeto obstruindo as narinas, tente retirá-lo cuidadosamente com cerdas de escova ou cotonete.

Variações grandes de temperatura no ambiente podem causar infecções respiratórias, que tem como sintomas a secreção nasal e ocular, penas eriçadas, letargia, arrepios e a respiração ruidosa ou difícil. Nunca deixe sua ave ao lado de condicionadores ou aquecedores de ar, ou em locais onde ela se exponha a chuvas ou correntes de ar.
calopsita com cachorro Uma calopsita cinza "conversa" com
o outro bicho de estimação da casa.
respiração curta
A respiração rápida e curta pode ser devida à altas temperaturas - a ave respira assim para se refrigerar. Também podem estar assustada ou nervosa. Em ambos os casos, basta levá-la a um local ventilado ou acalmá-la e sua respiração voltará ao normal.

Mas se sua ave está realmente com dificuldades em respirar, pode ser devido a infecções bacterianas ou por fungos e ácaros ou, ainda, alguma obstrução nas vias respiratórias, no peito ou pulmão. Por exemplo, o aumento abdominal causado por tumor, peritonite (causada por ovo preso) ou ascite podem impedir a expansão total da caixa torácica. Em todos esses casos, o ideal é ter ajuda veterinária.
casal de agapórnis fischeri Casal de agapórnis fischeri verde escuro.
ganho de peso
Um pássaro obeso pode apresentar muitos problemas de saúde, incluindo dificuldade em respirar, stress, diabetes, problemas cardíacos e hepáticos.

As causas da obesidade podem ser hereditariedade, ingestão em excesso de calorias, falta de exercícios, falta de lipase (enzima responsável pela queima de gorduras) ou hipertireoidismo.

No entanto, muitos problemas que ocorrem na região abdominal e peitoral podem ser confundidos com obesidade. Entre eles estão tumores benignos, hérnia, ascite (fluído no abdômen) ou ovo preso.

Se qualquer das hipóteses de problemas de saúde ou hormonais estiver descartada, o ideal é submeter seu pássaro a uma dieta (redução mínima de 25%), além de aumento na atividade física.
calopsita fazendo pose Uma pérola canela interage com o fotógrafo.
inchaços
Geralmente, inchaços ou caroços que surgem nas aves são de natureza benigna e causados por traumas. Por exemplo, se a sua ave voar e bater com força em algum obstáculo, pode desenvolver um hematoma, que irá desaparecer com o tempo.

Mas, se ela não sofreu nenhum acidente, os inchaços ou caroços podem ter outras causas: abscessos, incrustações no bico e olhos (geralmente causados por sarna), depósitos de gordura sob a pele, gota ou artrite, cistos e até tumores.

Os abscessos são quentes, doloridos, avermelhados e duros ao toque, causados por deposição de pus (devido a alguma infecção bacteriana) e geralmente encontrados embaixo dos olhos, pés e bico. Se não tratadas, as infecções podem atingir, pela corrente sanguínea, algum órgão vital. O ideal é procurar ajuda médica, para a administração de antibióticos.
calopsita arlequim tomando banho Por diversão, a dona desta arlequim cara branca deu-lhe um prato raso para o banho!
aumento no consumo de água
Calopsitas bebem cerca de uma colher de chá de água por dia, a não ser que estejam alimentando filhotes, quando o consumo é maior. O consumo também pode aumentar em razão de um ambiente quente ou da incidência solar direta. Stress, aumento de atividade física, certos medicamentos (como antibióticos) e diarréia também podem fazer com que sua ave beba mais água.

Mas o consumo excessivo de água pode indicar doenças graves, como diabetes, infecções urinárias, doenças do fígado e rins ou peritonite. Se sua ave parece saudável, apesar de beber mais água, não se preocupe. Mas se ela também apresenta algum sinal de doença ou se você está realmente preocupado com a quantidade de água consumida, procure um veterinário.
calopsita cinza com seus filhotes Uma mamãe calopsita cinza
no ninho com seus filhotes.
aumento de apetite
Aumento nos exercícios, queda de temperatura, postura de ovos ou alimentação de filhotes provocam aumento da necessidade normal de alimentos, especialmente calorias e proteínas. Nesses casos, não é necessário se preocupar.

No entanto, um aumento no apetite pode ser sinal de diabetes (os sinais iniciais de diabetes são aumento no consumo de alimento e água, perda de peso e fezes mais líquidas), vermes, ou ser sintoma de giardíase, problemas intestinais, pancreáticos ou hepáticos. Em qualquer caso, se houver sinais de doença, procure um veterinário.
calopsita cara branca comendo cereja Uma calopsita pérola cara branca
prestes a devorar uma cereja.
perda de apetite
Alteração no apetite pode ser causada por ambientes quentes ou ser resultante do stress causado por mudanças. Por isso, se sua ave não se alimenta bem num dia ou noutro, mas permanece alerta e ativa, não é motivo para preocupação.

Mas uma ave doente, que não come direito, não mantem sua temperatura corporal, o que a leva a se "encorujar" para manter-se aquecida. Então, a queda no apetite pode ser indicador de problemas.

Se sua ave não comer por mais de dois ou três dias, talvez seja necessário forçar a alimentação com papinhas de filhote. Se você conseguir alimentar sua ave com uma colher entortada (como se faz para filhotes), preenchendo o papo ao menos parcialmente, não há problemas. Se você não conseguir nem isso, é necessário procurar ajuda profissional.
calopsita cinza esticando as asas Calopsita cinza estica as asas - prepara
o vôo, se exibe ou apenas se espreguiça.
problemas motores
Se seu pássaro não consegue usar uma ou ambas as pernas, verifique os pés. Se apresentar alguma irritação, lave a região irritada com água morna e passe uma pomada tópica.

Outras causas podem ser falta de exercício, deslocamento, dores nos pés, fratura, deficiência nutricional, pressão do nervo ou vaso que irriga a perna, artrite, infecção, queimadura ou ainda lesões nervosas.

Em qualquer desses casos, ainda mais se você achar que a causa é lesão, nervosa ou física, procure ajuda médica.
casal de calopsitas namorando Um casal de calopsitas, cinza
e canela, namoram sobre o poleiro.

Análise das Fezes

a análise das fezes
A cor e consistência das fezes das aves indicam muito sobre o seu sistema digestivo. O excremento normal consiste em uma mistura de urina (a parte líquida, não cristalizada), uratos (parte mais consistente da urina, cristalizada, de cor branca) e fezes (material sólido, seco e firme, cuja cor varia dos tons esverdeados ao tom marrom). Devem ser sólidas e tubulares, particionadas ou não, enroladas ou não, mas não devem cheirar mal. O mau cheiro pode ser sinal de infecções bacterianas.
calopsita cinza selvagem Calopsita cinza, a variação
de cor de seu estado selvagem.
o que devemos observar
Um psitacídeo normal apresenta fezes verdes, com uratos de cor branca ou creme, e urina incolor, na quantidade de 25 a 50 ml por dia. Se as fezes se tornarem pretas, aquosas ou de qualquer outra cor, sem que tenha havido mudanças na sua alimentação, ou mesmo se elas diminuírem muito em quantidade, pode ser sinal de algum problema.
calopsita cinza em viveiro Calopsita cinza em viveiro.
diarréia
A diarréia é geralmente uma resposta do organismo a toxinas, doenças ou bactérias prejudiciais, mas pode também ser causada pela dieta rica em verduras, hortaliças, frutas cítricas e certos alimentos.

A diarréia não é excesso de urina nos excrementos, e sim um material fecal que não apresenta o formato tubular normal, com consistência que pode ir de mole a totalmente líquida (nos casos mais severos).

O aspecto se altera de acordo com a composição da parte mais líquida. Se apresentar sangue, incluir muco (secreção produzida pelas células intestinais), podem dar pistas ao veterinário para o diagnóstico correto.
filhote de calopsita cinza Calopsita cinza ainda filhote.
cores das fezes
A cor das fezes varia muito de acordo com a dieta das aves. Pellets e frutas vermelhas podem tornar as fezes avermelhadas (mas não a urina!). Sementes e vegetais verdes produzem fezes verdes. Amoras podem tornar as fezes quase pretas.
amarela:
deve-se à má absorção e digestão dos alimentos causadas por possíveis problemas no pâncreas ou fígado.
esbranquiçada:
deve-se a excesso de urato, causado por problemas renais.
esbranquiçada e gordurosa:
indica alguma inflamação no pâncreas
escura:
pode ser pela presença de sangue coagulado e digerido, originário de sangramento no sistema digestivo superior.
vermelha:
pode ser devido a sangue vivo (ainda não coagulado), proveniente de sangramento no sistema digestivo inferior, cloaca ou oviduto.
agapórnis fischeri verde diluído Casal de agapórnis fischeri
de variação verde escuro diluído.
a urina
A urina também deve ser observada
uratos verdes ou amarelos:
pode ser devido a doença do fígado ou anorexia.
uratos ou urina vermelha:
indicação de possível sangramento interno.
aumento na quantidade de uratos:
sinal de desidratação ou problemas renais.
uratos marrons
sinal de envenenamento por chumbo.
aumento na quantidade de urina:
é devido a aumento na ingestão de água ou de comida com alto teor de água.
calopsita cinza ainda nova
Esta calopsita cinza ainda é novinha...

Detectando Problemas

Detectando problemas
Os pássaros selvagens possuem um interesse primário e vital: se proteger dos predadores. Como, na natureza, qualquer lesão ou doença os torna alvos fáceis, eles "aprenderam" a disfarçar suas doenças ao longo de sua evolução.

Por isso, quando um pássaro mostra sinais de problemas, ele pode estar doente há algum tempo. Portanto, é interessante que você aprenda a reconhecer sinais precoces de problemas.
calopsita no laptop Uma calopsita arlequim explora o teclado
de um laptop: curiosidade natural.
o que devemos observar
Tudo fica fácil se conhecermos o comportamento e os hábitos de nosso pássaro, o que assimilamos naturalmente, através da convivência e observação. Assim, logo percebemos quando ele está agindo diferente ou qualquer anormalidade em suas fezes, - que podem dizer muito sobre a saúde do pássaro (veja a página análise de fezes).
mudanças no comportamento
Se seu pássaro é independente e se torna mais carente, ou se é amoroso e torna-se retraído, ou se é brincalhão e perde o interesse por seus brinquedos, ou ainda, se começa a arrancar ou mastigar as penas, é sinal de que algo não vai bem.
calopsitas namorando Uma calopsita pérola passa uma semente com um "beijo" à arlequim: namoro.
mudanças na alimentação ou atitude
A perda ou o aumento acentuados do apetite, podem indicar algum problema, bem como uma maior ingestão de água.

Também a sua atitude ou postura devem ser observadas:
se ele se tornar encorujado (parecendo "inflado" e com penas eriçadas)
se bate a cauda como que acompanhando a respiração
se ficar com as asas caídas, parecendo sempre sonolento, desatento ou abatido
se permanecer no fundo da gaiola ou no poleiro com postura baixa (quase na horizontal), olhos com aparência cansada
calopsita cara branca no espelho Uma calopsita pérola cara
branca se admira ao espelho...
alterações fisiológicas
Algumas alterações fisiológicas no seu pássaro podem ser facilmente percebidas:
penas manchadas de marrom acima das narinas (sinal de nariz escorrendo) ou secreção ao redor das narinas ou olhos
respiração ofegante, dificultosa ou mais forte que o normal
barulhos ao respirar (chiados ou espirros)
mudanças ou perda de voz
fraqueza, vacilos freqüentes da cabeça
pés sempre gelados
mudas prolongadas com penas perdidas e não repostas
agapórnis fazendo ninho Um agapórnis roseicollis lutino pica papel
e prepara um ninho em local inusitado.
mudanças nos excrementos
Se você já convive com seu pássaro há algum tempo, deve saber como normalmente são suas fezes. Mudança na cor, consistência ou quantidade, sem ter havido mudanças na alimentação, é sinal de problema. Recomendamos que você consulte a nossa página análise de fezes
calopsita carinhosa Uma calopsita de variação prata recessivo recebe carinho, com muito gosto, é claro.
Qualquer sinal de anormalidade no seu pássaro deve ser levado a sério pois, como já explicamos, eles "disfarçam" os sintomas por auto-defesa. Procure logo um veterinário de aves, antes que o mal avance pois, após o desenvolvimento da doença, sua ave pode vir até a morrer.
sinais de algo mais sério
Se o seu psitacídeo apresentar qualquer dos sinais ou sintomas abaixo, leve ao veterinário imediatamente. Geralmente existe o tratamento, mas precisa ser iniciado com urgência.
cabeça inclinada
não se mantem no poleiro
cambaleante
não anda
tremores
calopsita gritando de fome Uma calopsita cinza ainda filhote
vocaliza seu desejo de comida.